sábado, 6 de fevereiro de 2016

A teia do conhecimento

Participantes: Grupos de 10 pessoas.

Objetivo: Apresentação nos grupos; conhecimento mútuo; a importância de cada um conhecer os outros pelo que são e não pelo que dizem. Esta dinâmica é boa para iniciar o ano em grupos que já trabalham juntos.

Tempo Estimado: 10 a 15 minutos.

Material: Um rolo (novelo) de fio ou lã. Fotos de cada participante. Um isopor. Alfinete ou marcador de mural

Descrição: Dispor os participantes em círculo.
O coordenador toma nas mãos um novelo (rolo, bola) de cordão ou lã. Em seguida prende a ponta do mesmo em um dos dedos de sua mão. Joga o novelo para uma pessoa aleatoriamente e pergunta: Que dizem que eu sou?
Está pessoa apanha o novelo e, após enrolar a linha em um dos dedos, irá apresentar a pessoa que atirou o novelo de acordo com o seu conhecimento. Após a apresentação, a pessoa irá jogar para outro, assim sucessivamente, até que todos do grupo sejam apresentados. Como cada um atirou o novelo adiante, no final haverá no interior do círculo uma verdadeira teia de fios que os une uns aos outros.
Pedir para as pessoas dizerem:
– O que observaram;
– O que sentiram;
– O que significa a teia;
– O que aconteceria se um deles soltasse seu fio etc.
Como foi a apresentação, estava correta? Porque?
Colocar as fotos dos participantes em círculo no isopor  e colocar um alfinete na frente de cada foto e depois tecer a teia e colocar como mural.

Mensagem 1: Todos somos importantes na imensa teia que é a vida; ninguém pode ocupar o seu lugar.

Mensagem 2: Precisamos conhecer as pessoas, não pelo que dizem e sim pelo que são.

Mensagem Bíblica: Leia Marcos 8:27-29

Aprendendo com o Mestre:  Jesus abordou os discípulos com duas perguntas: A primeira foi “Quem dizem os homens que sou eu? ”. A segunda foi, “Mas vós, quem dizeis que eu sou? ”.Jesus nos ensina que há dois modos de conhecimento.
O primeiro modo é conhecer pelo que os outro dizem. Este modo pode ser de grande ajuda para nos introduzir no caminho do conhecimento das pessoas, mas, precisamos saber o que realmente é verdade, pois nem sempre o que dizem das pessoas é correto devido os motivos de cada um em sua apresentação. Pode ser uma apresentação carinhosa, cordial ou até mesmo maldosa.
O segundo modo é conhecer as pessoas pelo que são e pelo que fazem. O trabalho, a dedicação e até mesmo o comodismo fala mais do que muitas palavras. Na maioria das vezes não somos o que aparentamos ser.
Jesus nos dá uma lição maravilhosa. Não diga aquilo que você não sabe das pessoas, só porque ouviu dizer. Procure conhece-la antes de fazer qualquer suposição. Este é o motivo principal de uma boa apresentação.
Interessante que no texto de Marcos ninguém dizia nada ruim de Jesus Cristo. Diziam que ele era João Batista, Elias, algum dos profetas – todas referências boas e respeitáveis. Porém com um problema grave: todas erradas.
Os samaritanos também nos ensinam como devemos agir, em João 4:42 “...Já agora não é pelo que disseste que nós cremos; mas porque nós mesmos temos ouvido e sabemos que este é verdadeiramente o Salvador do mundo”.

E você, quem você pensa que é Jesus Cristo?


Quem você acha que eu sou?

domingo, 17 de janeiro de 2016

Dinâmica das sete velas, sete virtudes.

As sete virtudes que não podem faltar em lugar algum
(Sete velas dispostas em um castiçal, apagadas. Uma outra ao lado para acende-las e o círio a parte. O texto de cada virtude nas mãos dos leitores).
Apresentador. Na nossa vida, quer seja pessoal, profissional ou espiritual, dependemos de manter acesa a luz das virtudes que o Senhor deixou para nós. São sete, 4 cardeais e 3 teologais. São práticas que partem do coração de Deus como luz que só resplandece no coração do homem, pois apesar de emanar de Deus, ELE por ser onipotente, não precisa delas. O homem, ao contrário, se as perde-las, não terá motivos para crescer e multiplicar, assim como a vontade de Deus.
Não podemos deixar apagar estas luzes que iluminam a nossa existência. (acenda as velas dizendo o nome das virtudes)
Prudência Temperança Fortaleza Justiça Amor Fé Esperança
1 Catequista. (Pegue a vela e leia o texto à luz da vela). Esta é a chama da prudência. Esta virtude é o reto agir, o bom senso, o equilíbrio. Cuida do lado prático da vida, da ação correta e busca os meios para agir bem. Prudência é o mesmo que sabedoria, previdência, precaução. O prudente é pessoa que abandona as preocupações e abraça as soluções. Deixa as ilusões e opta pelas decisões. Rejeita as omissões e se empenha nas ocupações. Mas, ando tão desanimada com tanta preocupação... fico tão triste quando as pessoas agem à sua maneira sem se preocupar com o bem viver da comunidade.... (Apagar a vela)
2 Catequista. (Pegue a vela e leia o texto à luz da vela). Esta é a chama da temperança. É o autocontrole, autodomínio, renúncia, moderação. A temperança ordena afetos, domestica os instintos, sublima as paixões, organiza a sexualidade, modera os impulsos e apetites. Abre o caminho para a continência, a castidade, a sobriedade, o desapego. É próprio da temperança o cuidado conosco mesmo, com os outros e com a natureza. A temperança não permite que sejamos escravos, mas livres e libertadores e nos encaminha para o cumprimento dos deveres e para a maturidade humana. Só que as famílias andam tão divididas que não consigo encontrar temperança para a formação familiar. E sem família não faz sentido a educação, pois não somos robôs. (Apagar a vela)
3 Catequista. (Pegue a vela e leia o texto à luz da vela). Esta é a chama da Fortaleza. Faz-nos fortes no bem, na fé, no amor. Leva-nos a perseverar nas coisas difíceis e árduas, a resistir à mediocridade, a evitar rotina e omissões. Pela fortaleza vencemos a apatia, a acomodação e abraçamos os desafios e a profecia. A força dos pequenos e dos fracos é um sinal do dom da fortaleza na vida humana e na história. Hoje a fortaleza nos leva a enfrentar a depressão, o stress, o câncer, as doenças sem curas, os golpes da vida. Só que me sinto tão fraca... quanto mais eu luto mais dificuldades aparecem... a impressão que tenho é que este mundo não tem mais jeito... (Apagar a vela)
4 Catequista. (Pegue a vela e leia o texto à luz da vela). Esta é a chama da Justiça. Ela regula nossa convivência, possibilita o bem comum, defende a dignidade humana, respeita os direitos humanos. É da justiça que brota a paz. Sem a justiça nem o amor é possível. É a virtude da vida comunitária e social que se rege pelo respeito à igualdade da dignidade das pessoas. Da justiça vem a gratidão, a religião, a veracidade. Não se pode construir o castelo da caridade sobre as ruínas da justiça.  O Mundo anda tão injusto... não existe mais bem comum, só confronto de interesses próprios. Como posso lutar sozinha... como posso ser justa... (Apagar a vela)
5 Catequista. (Pegue a vela e leia o texto à luz da vela). Esta é a chama do Amor. O amor é a caridade para com todos. A Caridade não é fazer favor nem doar nada para ninguém. A Caridade é conhecer a dor da pessoa que vive perto de nós, quer seja na nossa família, na comunidade ou mais distante e sentir esta dor para saber ensiná-la a vencer. A Caridade é dar um "bom-dia!", é sorrir para as pessoas sem falsidade, demonstrando o que há de melhor no seu coração. A caridade, o amor é a virtude perfeita. Mas, a vida tem sido uma troca de favores... ninguém faz mais nada por amor... como é que eu posso fazer? (Apagar a vela)
6 Catequista. (Pegue a vela e leia o texto à luz da vela).  Esta é a chama do da Fé. A fé não se compra nem se dá a ninguém. Ela brota do coração de quem acredita. Cultivando a fé, acreditamos no Deus Criador, que é o Pai, no Deus Salvador, que é Jesus Cristo e no Deus Santificador, que é o Espírito Santo. Cultivando a fé, compreendemos que o Altíssimo é uno e trino e que tudo isso nos foi revelado nas Sagradas Escrituras. Cremos, então, que Deus é a verdade. Conheças a verdade e a verdade os libertará. Sem a fé não teremos amor nem fortaleza para lutar por um mundo mais justo. A fé nos leva, portanto, a praticar a justiça em tudo que fazemos. Mas, como vou fazer isso se os homens não acreditam nem mesmo em si. Não sei mais e que deus eu possa crer pois são tantos deuses que as religiões pregam... (Apagar a vela)
7 Catequista. (Pegue a vela e leia o texto à luz da vela).  Esta é a chama da Esperança. A Esperança é a virtude que nos ajuda a desejar e a esperar tempos melhores em nossa vida aqui na terra e a ter a certeza de que conquistaremos a vida eterna, que será a nossa felicidade. A esperança não é acreditar em utopias e sim em fatos que sabemos acontecer, mais cedo ou mais tarde.
No Novo Testamento, o anjo do Senhor anunciou a Virgem Maria que ela seria Mãe de um rei. E ela, de início sem compreender o que anjo falara, se prontificou a cumprir a vontade do Pai. Sofreu muito, meditando tudo no silêncio do seu coração. Esperou, esperou contra toda esperança e foi elevada aos céus e coroada Rainha dos anjos e dos santos, Mãe de Deus e Mãe da humanidade.
Seu Filho não foi aquele rei rico em coisas materiais, como nós imaginamos, no nosso mundo serem os reis. Mas Ele mesmo disse: "O meu reino não é deste mundo". E Ele é o Rei dos Reis e ao som do Seu nome se dobram todos os seres do céu, da terra e sob a terra. Somos, por meio de Cristo, herdeiros da esperança de vida eterna. E ELE é o Mestre dos mestres. ELE será a minha esperança. Quero acreditar nas pessoas... mas, em quem? (Apagar a vela)

(Entra uma criança correndo, gritando e chorando)
Criança - “Que é isto? Vocês deviam permanecer sempre acesa! ” O que será de mim? Dizendo isso, começou a chorar.
Criança. (A criança pega a vela do Amor, acende no círio e acende primeira a vela da esperança e depois a da fé dizendo). Vocês não podem desistir das crianças. Deus é Amor e ama as crianças. As crianças são a esperança do mundo, porem precisam serem preparadas para o mundo. Enquanto houver crianças haverá esperança. A esperança só existe no coração do homem pois Deus é o princípio e fim de tudo, não precisa de esperança. Somos humanos e fracos, mas a minha esperança está na fé que vem do Amor, pois Deus é amor. 
(os três últimos catequistas acendendo as outras velas dizem) “Não tenhas medo. Enquanto existir fé, esperança e Amor, juntos com vocês crianças construiremos um mundo melhor”

sábado, 28 de novembro de 2015

Coroa do Advento - Presépio - Como Fazer

Vamos preparar o nosso local de encontro com Deus? Local de oração deve ser muito bem planejado, feito com carinho e dedicação. Afinal de contas, estamos preparando um lugarzinho para nosso menino Deus! Iremos montar a nossa coroa do advento aos poucos e conto com a participação de todos os nossos amigos. Hoje iremos preparar a nossa "Coroa do Advento". 
Primeiro faça uma armação de ferro contendo local para colocar as velas do Advento, sempre com alturas diferenciadas para que as velas se igualem de acordo com o acender das demais. 

Depois faça um castiçal com espaço para sete velas. Será acesa uma por dia, enquanto rezamos o nosso rosário do advento.  Lembre-se que o número de velas está relacionado com  a Luz de Cristo que aumenta em nossa vida de acordo com a nossa fé. Depois encaixe o Castiçal no centro da coroa do Advento.
Lembre-se de forrar a mesa com papel alumínio para não correr o risco de danificar seu móvel com os pingos de vela. 
A Coroa do Advento deve ser enfeitada de verde, podendo usar folhas artificiais (como no nosso caso: estou usando festão verde simbolizando  folhagens verdes (natureza) e este outro, com um toque dourado simbolizando a realeza, o ouro que devemos presentear o Senhor) ou natural, como por exemplo, renda portuguesa ou outro tipo de samambaia que demora muito tempo para perder a sua cor.

domingo, 25 de outubro de 2015

O pecado e o Amor de Deus - Dinâmica do perdão

Objetivo: Reconhecer nossos erros e pedir perdão a Deus
Material:
- Um copo de vidro bem transparente (representa o nosso coração);
- Pedras pequenas (representam nossos pecados);
- Água (representa o amor de Deus);
- Uma bacia;
- Uma pinça ou pegador de gelo.
Desenvolvimento:
O copo representa o nosso coração, um espaço criado por Deus para reinar o Amor. (Colocar dentro da bacia para não molhar o local.) A água é um solvente universal. Cerca de 71% da superfície da Terra é coberta por água em estado líquido. O corpo humano possui cerca de 65% de água em homens adultos e 60% em mulheres adultas.

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

A teia da amizade

Participantes: + - 20 pessoas.
Objetivo: Apresentação nos grupos; conhecimento mútuo; a importância de cada um assumir a sua parte na vida.
Tempo Estimado: 10 a 15 minutos.

Material: Um rolo (novelo) de fio ou lã. Fotos de cada participante. um isopor. Alfinete ou marcador de mural

Descrição: Dispor os participantes em círculo.
O coordenador toma nas mãos um novelo (rolo, bola)
de cordão ou lã. Em seguida prende a ponta do mesmo em um dos dedos de sua mão.

Pedir para as pessoas prestarem atenção na apresentação que ele fará de si mesmo. Assim, logo após se apresentar brevemente, dizendo que é, de onde vem, o que faz etc, joga o novelo para uma das pessoas à sua frente.

Está pessoa apanha o novelo e, após enrolar a linha em um dos dedos, irá repetir o que lembra sobre a pessoa que terminou de se apresentar e que lhe atirou o novelo. Após faze-lô, essa segunda pessoa irá se apresentar, dizendo quem é, de onde vem, o que faz etc…

Assim se dará sucessivamente, até que todos do grupo digam seus dados pessoais e se conheçam. Como cada um atirou o novelo adiante, no final haverá no interior do círculo uma verdadeira teia de fios que os une uns aos outros.

Pedir para as pessoas dizerem:

– O que observaram;
– O que sentiram;
– O que significa a teia;
– O que aconteceria se um deles soltasse seu fio etc.

Colocar as fotos dos participantes em círculo no isopor  e colocar um alfinete na frente de cada foto e depois tecer a teia e colocar como mural.
Mensagem: Todos somos importantes na imensa teia que é a vida; ninguém pode ocupar o seu lugar

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Catequese orante ao redor da mesa


Objetivos: Com a mesa da Palavra na catequese pretendemos fazer com que  a Leitura da Bíblia seja acolhida como Palavra de Deus que nos fala através deste Livro Santo e faz da nossa fé instrumento de transformação da nossa vida em comunidade. O objetivo maior desta prática é o encontro com o Senhor.

Preparação: Duas mesas em cada sala de catequese: uma da Palavra, enfeitada com flores, velas, toalha de acordo com a cor litúrgica e água benta; a outra, uma mesa maior que reúna ao seu redor os catequizandos para refletir a mensagem cristã (pode-se juntar as mesas, se não houver mesa, um círculo de cadeiras).





Os quatros passos da Leitura Orante:
1) leitura
2) meditação
3) oração
4) contemplação




Estrutura do Encontro:
  1. Acolhida.
  2. Ao redor da Palavra.
  3. Ao redor da mesa, nas cadeiras.
  4. Na mesa da Palavra.
Acolhida Preparar bem o local para que as crianças se sintam esperadas; Preparar o texto com antecipação; se houver alguma palavra de difícil compreensão, procurar significado; escolher as crianças que irão ler (deve ser mais de uma; como são crianças, a bíblia deve ser da mesma edição para não confundi-las); Dar tempo para chegar, conversar sobre assuntos da semana com os que chegam antecipados, se acomodar ao redor da mesa nas cadeiras; É importante acalmar a mente e o coração para começar. Para isso não basta dizer “silêncio!”; Se possível colocar uma música de fundo.
Ao redor da Palavra- Após a acolhida, o grupo muda de espaço, dirigindo-se á mesa da Palavra: todos permanecem em pé, como gesto de disposição à escuta atenta da Palavra de Deus.
  1. Sinal da Cruz (pode-se usar água benta);
  2. Boas vindas e o objetivo do encontro, evidenciando o tema da leitura e a Palavra de Deus em nossa vida.
  3. Acendimento da vela e o Canto de aclamação à Palavra;
  4. Um catequizando lê a Palavra (tempo para acolher a leitura);
  5. Outro catequizando lê novamente (perguntar se tem alguma palavra difícil e explicar o significado);
  6. A catequista faz uma terceira leitura destacando alguns pontos e expressões;
  7. Beijar a Bíblia como gesto de veneração e amor à Palavra proclamada;
Ao redor da mesa, nas cadeiras - Em silêncio voltar para a mesa, sentar. Reconstruir o texto com a participação de todos, lembrando os cenários, os personagens, as falas mais significativos; Procurar seguir cada passo como quem conta uma história riquíssima de detalhes. procurar entender o que está por trás do contexto. A catequista explica o contexto da passagem e trabalha alguns versículos selecionados para explicar o significado do texto;
Na mesa da Palavra. Retornar ao lugar onde foi proclamado a Palavra. Dedicar um tempo apropriado, sem apressar-se, para oração sobre o tema desenvolvido. Importante é não fazer o momento de oração com o grupo desmotivado, ou apenas para cumprir uma tarefa. É preciso criar clima favorável para esse momento conclusivo.
Distribuir tarefas para o próximo encontro: leituras, quem traz flores, quem prepara o símbolo, imagens, músicas, etc...

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Entronizando a Palavra de Deus na Catequese

Oração inicial – 1º momento Minha intimidade com a Palavra de Deus
O catequista  recepciona os catequizandos com questionamentos em relação a Bíblia.  Onde a Bíblia é guardada em minha casa? Quem mais ler a Bíblia em minha família. Qual a passagem bíblica que mais me chama atenção? Por que preciso ler a Bíblia?
2º momento Entronizando a Bíblia!
É importante que todas as crianças estejam voltadas para a Bíblia, mesmo sem saber o que é, pois a mesma deve ser conduzida em um recipiente bem enfeitado (usar a criatividade). Quem sabe um baú? Afinal é o maior tesouro da humanidade! Faça uma procissão com algumas crianças levando pétalas de rosas. Atrás duas crianças com as velas, uma com um arranjo de flores e atrás o baú contendo a Palavra da nossa Salvação. Quando chegar ao local, a fila para e fica em posição de fila indiana (As duas filas de frente um com o outro); jogam as flores, uma dupla de cada vez enquanto as velas, flores e o baú vão passando. Chegando no local o baú é entregue a um catequista que retirar a Bíblia do Baú, com muito respeito beija-a e com muito entusiasmo proclama: “Eis a Palavra da Nossa Salvação! Deus passou em nosso meio e aqui está para nos falar. Eis aqui nossa maior riqueza, o Testamento Divino que o Senhor Deus deixou para nós. Viva a palavra de Deus!” Ele coloca a Bíblia no local e começa com um sussurro e vai aumentando  progressivamente até gritar: “Estou diante da tua palavra senhor; fala que teu servo te escuta”! os demais catequistas pedem que todos repitam.


sábado, 1 de agosto de 2015

Cruzadinha Vocacional

Cruzadinha Vocacional
A dinâmica consiste em preencher os quadradinhos de acordo com as dicas dadas em cada palavra em negrito e grifadas. Ex: A palavra vocação esta em negrito e grifado com a dica (1A). Ela deve ser escrito no número 1, a partir da letra A. A palavra vida esta em negrito e grifado com a dica (A1). Ela deve ser escrita na letra A, a partir do número 1. Todas as palavras estão cruzadas e nem uma se repete. Existem algumas palavras compostas ou pequenas frases como: dom de Deus. Observe a coluna dos números e a linha de letras e verás como é muito fácil. O Importante é que o catequista explique cada frase antes de procurar o local da palavra. Seria Bom que o trabalho fosse feito em grupos.
  Vocação humanaT1Existir – Viver
A primeira Vocação 1A do Ser Humano é a VidaA1.

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Ajude-nos. É muito simples.

Apesar deste blog ser somente para Dinâmicas quero abrir este espaço para divulgar minha loja virtual. Trata-se do Magazineletrosoares. Todo o nosso trabalho é dedicado a Evangelização, por isso, nossos lucros também serão destinados aos nossos trabalhos, principalmente de catequese. E você ainda desfruta dos melhores produtos do Pais, com os menores preços, em uma plataforma de confiança
. Magazineletrosoares "Se não puder comprar tudo, compre o que puder"!

sábado, 23 de maio de 2015

Pentecostes - Encerramento da Dinâmica Pascal - Avançar

 O Pai bondoso acolhe seus filhos no colo do Amor, se revela e os envia.

Preparando o Ambiente – Coloque uma vela bem bonita dentro do coração, de preferência decorado com alguma coisa que lembre o Espírito Santo. Um dos Catequistas representará Jesus Cristo. Uma criança representará o Papa. Seria bom que todos decorassem o texto. Uma vela grande, representado Jesus deve estar acesa.

Acolhida: Sejam todos bem vindos crianças, candidatas a serem discípulos(as) de Nosso Sr. Jesus Cristo. Hoje é um dia todo especial, e sabe por que? ____Hoje celebramos o nascimento da Igreja, o dia de Pentecostes.

Oração Inicial: Todos devem persignar-se
Catequistas: Crianças, hoje vamos receber Jesus Cristo. Mais uma vez ELE está presente no meio de nós e veio lembrar alguns detalhes que teimamos em esquecer. Hoje vamos relembrar ou aprender que foi o próprio eu fundou nossa igreja e está presente nela até hoje.


sábado, 11 de abril de 2015

II Domingo de Páscoa - Acredita

Do Coração de Jesus ao Coração do Mundo!

Preparando o Ambiente – Celebração da Páscoa na catequese. Coloque uma vela ou círio, acesa, próximo ao coração. Prepare as sete chaves antecipadamente. A Celebração da Páscoa será o momento de oração do I Domingo de Páscoa. Símbolos Pascais, o coração no centro.  Esta celebração pode ser feita no segundo horário, ao invés de ser no início. Precisamos de 2 Anjos, Jesus Cristo ressuscitado (vestido de branco), Maria Madalena e os dois discípulos, Pedro e João. Tomé fica a parte. Um grupo de discípulos sentados no chão de um outro lado. Panos brancos dobrados e colocados no pé do altar onde está o coração. 

Ressurreição do Senhor – Anuncia
1º Momento - O Pai bondoso acolhe seus filhos no colo com Amor
Acolhida: Celebrar a Páscoa e fazer memória da paixão, morte e ressurreição de Cristo - é testemunhar nossa fé na vida, na vitória do bem. Por isso convidamos vocês para juntos entoarmos cantos alegres, celebrando a vitória do Salvador. Não é só celebrar, também somos convidados a testemunhar nossa fé por meio da prática do amor, da fraternidade, da solidariedade. Durante a quaresma fizemos um propósito de mudar de vida.Agora com a ressurreição de Cristo somos convidados adar um sentido novo a nossa vida, que seja marcada pelo otimismo, pela alegria, pelo compromisso de amor a Deus e aos irmãos e pelo discipulado cristão.
Abertura: Hoje vamos abrir duas portas. Abriremos a última porta para adentrarmos o coração de Jesus. Nesta porta está o segredo da felicidade. Depois abriremos a segunda que nos levará a espalhar esta felicidade no mundo. (Dramatizar a ressurreição do Senhor.)
Oração Inicial: As crianças devem persignar-se com o auxílio dos catequistas. 
Catequistas.: Repitam comigo. Alegremo-nos todos! O Senhor ressuscitou! Aleluia! Com esses sentimentos, queremos celebrar a nossa Páscoa. A nossa vida agora é só ALEGRIA. Vejamos as palavras chaves que já utilizamos: (Relembrar as palavras) Para que a nossa ALEGRIA seja completa precisamos da última chave. Sabe quem vai nos dar a última chave? O Próprio Jesus.
Oração Catequistas: Senhor nosso Deus, que pelo vosso Espírito ressuscitastes o vosso Filho, nós Vos pedimos: não deixeis de nos assistir com a força desse mesmo Espírito Santo, para que, ressuscitados como homens novos, saibamos testemunhar Cristo, vivo e atuante no mundo. Ele que é Deus convosco, na unidade do Espírito Santo. 

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Dinâmica - Aprendendo com Jesus no caminho de Emaús - A Escuta

Vimos que “o primeiro passo da pedagogia de Jesus é o encontro”. Jesus se aproxima e sem interrompê-los caminha com eles. Aproximar-se é dispor-se a conhecer e sentir de perto a necessidade do outro. Jesus vai ao encontro das pessoas, caminha com eles... Esta é a dica para o próximo passo.
Ao caminhar com eles, Jesus se interessa pela vida deles... A iniciativa é de Jesus. Ele não interrompe o assunto. Esta atitude de caminhar juntos, escutá-los e descobrir sua realidade valoriza a pessoa, cria um elo de amizade. Os Discípulos estavam decepcionados porque ainda não haviam compreendido a morte de cruz. Jesus quer ouvir as preocupações, angústias, decepções e esperanças. Este é o segundo passo: “A Escuta”.

Aprende-se muita com a escuta atenta. Isto na física chama-se “INFILTRAÇÃO” - (física). O líquido penetra no sólido pelos minúsculos poros sem ser notado. Quando menos se espera, o sólido está úmido. O mundo é assim também. O povo aprende sem saber de onde vem. Veja alguns exemplos de aprendizagem com a escuta para meditar:
- Infiltração de rua - as crianças têm contato com outras crianças que o único saber que têm é a luta pela sobrevivência, na qual, trazem muitas marcas dolorosas;
- Infiltração doméstica - os pais saem para trabalhar e a criança fica o dia inteiro com a empregada que muitas vezes, o meio de sobrevivência que teve, foi a prostituição e o seu vocabulário é inaceitável.
- Infiltração Televisual - o meio de entretenimento mais barato e a pior programação para uma criança é a Tv. Hoje, os recursos de informática estão até nos celulares e não precisa-se ser rico para possuir um
- Infiltração Educacional - O educador, quer sejam professores ou catequistas, precisam ser exemplos e dar testemunho da moral e do bem viver.
Por último e a mais importante

domingo, 5 de abril de 2015

Domingo da Ressurreição – Anuncia

1º Momento - O Pai bondoso acolhe seus filhos no colo  com Amor

Acolhida: Celebrar a Páscoa e fazer memória da paixão, morte e ressurreição de Cristo - é testemunhar nossa fé na vida, na vitória do bem. Por isso convidamos vocês para juntos entoarmos cantos alegres, celebrando a vitória do Salvador. Não é só celebrar, também somos convidados a testemunhar nossa fé por meio da prática do amor, da fraternidade, da solidariedade. Durante a quaresma fizemos um propósito de mudar de vida. Agora com a ressurreição de Cristo somos convidados  a dar um sentido novo a nossa vida, que seja marcada pelo otimismo, pela alegria, pelo compromisso de amor a Deus e aos irmãos.
Abertura: Hoje vamos dramatizar a ressurreição do Senhor. Precisamos de 2 Anjos, Jesus Cristo ressuscitado (vestido de branco), Maria Madalena e os dois discípulos. Panos brancos dobrados e colocados no pé do altar onde está o coração.
Oração Inicial: As crianças devem persignar-se com o auxílio dos catequistas.
Catequistas: Repitam comigo. Alegremo-nos todos! O Senhor ressuscitou! Aleluia! Com esses sentimentos, queremos celebrar a nossa Páscoa. A nossa vida agora é só ALEGRIA. Vejamos as palavras chaves que já utilizamos:

sábado, 4 de abril de 2015

Dinâmica - Aprendendo com Jesus no caminho de Emaús - O Encontro

O primeiro passo é aproximar-se, caminhar junto. Todo encontro, em qualquer circunstância, deve partir da VIDA para chegar a mais VIDA com novos compromissos e novas atitudes...
O texto começa com as palavras “nesse mesmo dia”. Para nós está claro que é o primeiro dia da ressurreição de Jesus. Para os dois discípulos era simplesmente o terceiro dia da morte de Jesus! Dia de desânimo, de tristeza. E sabemos disto porque o bom judeu não podia caminhar mais do que um quilômetro no dia de sábado. O domingo foi a primeira oportunidade de sair de Jerusalém, e eles aproveitaram. A cena começa com a desintegração da comunidade cristã. Tudo acabou, a comunidade se dispersa, não há nem alegria nem esperança.
Sabemos que eram dois discípulos e um se chamava Cléofas. E o outro? Talvez o evangelista quisera apresentar o rosto de tantos anônimos, desconhecidos para na sociedade, vivendo a margem e fugindo da realidade.
De repente, no caminho surge Jesus, sem que seja reconhecido. Ele se aproxima e caminha com os dois. Este caminho representa a nossa dificuldade em ver, em reconhecer Jesus. Hoje, sabemos pelos Evangelhos e ainda continuamos cegos, sem reconhecer Jesus no meio das preocupações e dos sofrimentos da vida. O mundo foi feito pelo verbo fazer: “Faça-se”. O Mistério da encarnação foi do mesmo jeito: “Faça-se em mim”. Vejam que Jesus usa também o verbo. Segundo São Lucas Jesus “aproximou-se”, “caminhou com eles”. Eis o primeiro passo da pedagogia de Jesus.

O primeiro passo é aproximar-se, caminhar junto. Quantas vezes isso falta em nossos grupos, nossas comunidades - não nos aproximamos uns aos outros, mantemos distância! Não caminhamos juntos, queremos dar soluções sem conhecer a realidade dos nossos irmãos e irmãs! Por isso mesmo, muitas vezes não tem efeito nossa maneira de Evangelizar.

Aqui encontramos também o primeiro passo da revelação evangelizadora. Jesus irá se revelar na vida dos discípulos. É na nossa vida que Jesus quer se revelar.



E agora? Qual será o segundo passo da Pedagogia catequética de Jesus? Qual a próxima atitude de Jesus?
Para responder leia Lc 24, 16-17. Semana que vem continuaremos a nossa meditação.
Visite-nos no Facebook e  curta nossa Fan Page
Você pode também comentar qualquer uma das postagem dos discípulos de Emaús, no Blog ou na Fan page.

Dinâmica - Aprendendo com Jesus no caminho de Emaús - Discípulo ou Apóstolo


Para meditarmos na nossa maneira de catequizar, estamos preparando uma dinâmica que pode ser considerada também uma Leitura Orante da Palavra de Deus. É a leitura orante da passagem: Os Discípulos de Emaús. Não vamos fazer apenas uma leitura orante, mas pontuar os passos que Jesus ensinou aos discípulos na hora em que eles mais precisavam. São sete passos e queremos a participação de todo mundo que quiser contribuir. Prometemos publicar tudo que nossos visitantes contribuírem para enriquecer nossa dinâmica.  Só não publicaremos críticas abusivas. Iremos dar pistas para os passos e vocês dinamizarão e dirão como deve agir um verdadeiro catequista, Discípulo do Senhor. Contamos com sua atuação na construção de nossa dinâmica. Pedimos que todos se identifiquem para conhecermos os contribuintes e sabermos como está a nossa interação. Esta dinâmica já fizemos em 2013 na semana catequética da Paróquia do Ipu.



Primeiro vamos identificar: QUAL A DIFERENÇA ENTRE APÓSTOLO E DISCÍPULO?

Discípulos

Discípulo é aquele que aprende com um mestre, ou o que segue os princípios desse mestre, como por exemplo os discípulos de Moisés (Jo 9.28), ou de João Batista (Mt 9.14), ou de Jesus (Mt 22.16) - mas de um modo mais exato se dá a qualidade de discípulo, àquele que segue um mestre.



Apóstolo

Apóstolo significa um ‘mensageiro’ especial: literalmente significa ‘enviado’, que sugere a ideia de que esse mensageiro representa a pessoa que o envia para alguma missão, como um procurador, delegado, embaixador, ou algo desse tipo. Por exemplo, no Novo Testamento, nos Evangelhos de S. Lucas ele fala que o nome apóstolos foi dado aos doze por Jesus (6.13) aos seus missionários, e em mais quatro outras oportunidades, Lucas emprega essa designação a respeito dos discípulos (9.10, 17.5, 22.14, 24.10).



Em cada um dos outros Evangelhos a designação de Apóstolo aparece apenas uma vez (Mt 10.2 - Mc 6.30 - Jo 13.16).

Podemos então definir Apóstolos como os Padres e Bispos e Discípulos como todos os seguidores de Jesus, que não são os batizados, mas os batizados que assumiram a missão de serem profetas, sacerdotes e reis. Ou seja, os batizados que estão a serviço de sua igreja, fundada por Jesus Cristo. A pesar  de sabermos que o batismo nos torna discípulos, conforme está escrito em Mt 28, 18-20





A nossa dinâmica terá 4 ciclos que são os Ciclos da Evangelização feita por Jesus. Os quatros ciclos terão 7 passos. A dinâmica só terá valor se vc acompanhar todos os passos. Compartilhe, comente, participe.

Agora leia: Evangelho de São lucas 24, 1-15
Alguns questionamentos para você responder:

- No primeiro dia... Que dia seria este?

- O que aconteceu de extraordinário neste dia?

- Quem são os personagens que aparece neste relato?

- Para quem foi contado o grande acontecimento?

- Quem eram os discípulos?

- Como foi a abordagem de Jesus?

Qual o primeiro passo da Pedagogia Catequética de Jesus e qual o primeiro ciclo da Revelação Evangelizadora?


Não se esqueça de fazer o seu comentário sobre os passos, tanto da pedagogia catequética, como da evangelização.
O primeiro passo é aproximar-se, caminhar junto. Quantas vezes isso falta em nossos grupos, nossas comunidades - não nos aproximamos uns aos outros, mantemos distância! Não caminhamos juntos, queremos dar soluções sem conhecer a realidade dos nossos irmãos e irmãs! Por isso mesmo, muitas vezes não tem efeito nossa maneira de Evangelizar. Leia mais...
Dinâmica - Aprendendo com Jesus no caminho de Emaús - O Encontro


Continuamos no próximo domingo. Aguardo a sua participação.



sexta-feira, 27 de março de 2015

Dinâmica Pascal – Domingo de Ramos – Imitar

Preparando o Ambiente – O Coração de Jesus, desenhado no isopor deve estar em lugar de destaque. Coloque uma vela ou círio, acesa, próximo ao coração. Prepare as sete chaves antecipadamente.

1º Momento - O Pai bondoso acolhe seus filhos no colo com Amor


Acolhida: Depois destas 5 semanas maravilhosas em que fomos recriados, morreu o velho que existia em nós e agora, renovados no Espírito Santo de Deus, vamos fazer o mesmo percurso que Jesus fez. Entrar de modo triunfante como Rei, aclamado pelo povo, para depois percorrer a via dolorosa do Tríduo Pascal: Paixão Morte e Ressuscitar com Cristo, nascendo uma nova pessoa.
Abertura: As crianças de hoje não sabem mais brincar. Mas, se concordarem, faça um jumentinho de brinquedo (um cabo de vassoura, garrafa pet e criatividade).   Se tiver muitas crianças como na catequese Medalha Milagrosa no Patronato Sousa Carvalho, os personagens são: Jesus e os doze discípulos, dois fariseus.
Oração Inicial: As crianças devem persignar-se com o auxílio dos catequistas.
Catequistas: Sejam todos bem vindos-(as). Nosso momento de oração terá dois momentos diferentes dos que tivemos nas últimas semanas. Agora na acolhida, vamos meditar a Unção de Jesus.
Catequistas: Hoje teremos dois grandes exemplos para imitarmos: Maria, que reservou o que tinha de melhor para Jesus, e o próprio Jesus, modelo de humanidade a ser seguido.

A Palavra de Deus é Luz para nós. Jo 12,1-8.

(Leitura orante) Jesus foi para a casa de quem? O que Maria fez de extraordinário? Por que ela fez isto? O que os discípulos disseram? O que Jesus respondeu? Por que Jesus disse que não se preocupassem com  os pobres? Porque naquele momento o importante era preparar Jesus para sua Paixão. O que Jesus queria dizer é que depois que Ele morresse teriam muitos pobres para socorrer.




Meditação: A leitura que escolhemos diverge das leituras dos outros Evangelhos: Mateus e Marcos: uma mulher / Lucas: a pecadora. / João: Maria. Para nós o que interessa é como a mulher agiu com Jesus. Maria se sentia tão amada por Jesus que separou o melhor que tinha para dar a Jesus. A Unção é uma benção, geralmente feita com óleo aromático, próprio para benção. No AT Deus mandava ungir apenas reis, profetas e sacerdotes como símbolo da presença do Espírito Santo. Jesus Cristo escolhe maneiras tão simples de fazer a vontade de Deus! Enquanto os outros querem ser revestidos de poder para serem ungidos, Jesus mostra que todo poder estar na simplicidade do agir. No Evangelho de Mc 14, 8-9 Jesus diz: “Ela fez o que podia: derramou perfume em meu corpo, preparando-o para a sepultura. Eu garanto a vocês: por toda a parte, onde a Boa Notícia for pregada, também contarão o que ela fez, e ela será lembrada”. Aquele que age sem pensar em recompensa, Jesus será a recompensa. Precisamos aprender a IMITAR os gestos simples do Evangelho.
Crianças: Senhor Jesus, dá-nos um coração um coração simples e humilde, para que nossas ações sejam tão sinceras quanto a unção feita por Maria.
Catequistas: Senhor  Jesus tenha compaixão de nós,
Crianças: Porque somos pecadores
Catequistas: Por ser puro amor sede misericordioso para conosco.
Crianças: E dai-nos a vossa salvação
Catequistas: Por ser Filho de Deus perdoe os nossos pecados
Crianças: E nos conduza a vida eterna. Amém

2º Momento – A Palavra de Deus é Luz para nós. Lc 19,35-39.

Hoje a nossa leitura será dramatizada. Os fariseus ficam próximo ao coração. Os discípulos vem com Jesus montado em um jumentinho e a multidão grita:
Narrador: Então levaram o jumentinho a Jesus. Colocaram os próprios mantos sobre o jumentinho e fizeram Jesus montar. Enquanto caminhavam, as pessoas estendiam os próprios mantos pelo caminho. Quando Jesus estava junto à descida do monte das Oliveiras, toda a multidão de discípulos começaram, alegres, a louvar a Deus em voz alta, por todos os milagres que tinham visto. Lado direito: «Bendito seja aquele que vem como Rei, em nome do Senhor!”.
Lado esquerdo: “Paz no céu e glória no mais alto do céu.»
Narrador: No meio da multidão, alguns fariseus disseram a Jesus:
Fariseus: «Mestre, manda que teus discípulos se calem.
Jesus: «Eu digo a vocês: se eles se calarem, as pedras gritarão.
Palavra da Salvação.

 Momento de oração e meditação: Vem, Senhor Jesus! Contigo, abro o meu coração aos que vivem comigo! Procuro olhar com olhos novos para tudo o que se passa à minha volta. Por isso, quero acolher-Te todos os dias.
Vem, Senhor Jesus! Contigo, quero transformar as minhas dificuldades e instabilidades em gesto de humildade, perdão e paz.
Vem, Senhor Jesus! Contigo, encontro as palavras ideais e me dou conta da que nem sempre penso antes de falar. Por isso, que as minhas palavras sejam sinais da bondade.
Senhor Jesus, Rei do Universo, sinto-me feliz Contigo, quero acolher-Te todos os dias,
E todos os dias Contigo desejo viver. Por isso digo:
«Hossana ao Filho de David! Bendito O que vem em nome do Senhor!

3º Momento – Abertura da Porta

(Dar um cartão com a palavra chave  para uma criança colocar na porta de letra igual a inicial do nome na chave. Na chave, além da palavra tem também um pequeno texto que deve ser lido pelo catequista).

 Catequistas: Crianças, hoje somos convidados a IMITAR Maria, dando o melhor de nós para Jesus. Mas, durante esta semana tem muito mais coisas bonitas que devemos imitar. O nosso compromisso cristão será fazer desta semana um momento santo de encontro com Jesus. Agora quero lembrar-lhes uma frase que será o ponto central da quinta feira Santa. Dei-vos um exemplo para que, como Eu vos fiz, também vós o façais. Jo 13, 15. Sejamos IMITADORES de Cristo. Qual  é a palavra chave?
“Senhor Jesus, durante a Tua vida terrena, acolhias, curavas, partilhavas, perdoavas, encorajavas e aconselhavas. Tu amaste e amas infinitamente e até ao fim os teus que estão neste mundo. Tu que dás tudo e tudo partilhas, partilhaste com os discípulos a tua última refeição. Levaste-lhes os pés, em sinal de serviço e amizade. Realizaste uma nova aliança de amor entre Deus e os homens. Os discípulos de hoje somos nós, sou eu! Hoje é a mim que diriges todos os teus gestos de amor, é comigo que partilhas a tua refeição. Que eu saiba IMITAR todos os teus gestos de Amor”.

4º Momento – Compromisso de um verdadeiro discípulo

Catequistas: Acredite. Esta é a mais santa de todas a semanas do ano litúrgico. O verdadeiro discípulo vai fazer todo possível para estar a todos os momentos ao lado de Jesus. O seu compromisso será com a Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo. Na Paixão, todos os discípulos o abandonaram. Até mesmo Pedro que tentou ser forte o negou. Não vamos cometer o mesmo erro.

Desafio para a semana: Domingo de Ramos – Procissão de ramos. Cada criança deve trazer um ramo bento, uma palinha de palmeira e colocar fazer um leque para colocar atrás do coração da dinâmica.
Quinta Feira santa participar da missa do Lava-pés e instituição da Eucaristia e o Sacerdócio ministerial.   Nessa celebração também se recorda o mandamento novo que Jesus deixou: “Eu vos dou um novo mandamento, que vos ameis uns aos outros assim como Eu vos amei.” Comungar o corpo e sangue de Cristo na Eucaristia implica a vivência do amor fraterno e do serviço. Essa é a lição da celebração. Depois da Celebração é feita a transladação do Santíssimo para uma capelinha que servira de horto para a Adoração.
Sexta Feira Santa A Igreja contempla o mistério do grande amor de Deus pelos homens. Ela se recolhe no silêncio, na oração e na escuta da palavra divina, procurando entender o significado profundo da morte do Senhor. Neste dia não há missa. A Igreja se recolhe em Adoração ao Santíssimo Sacramento no Horto da nossa vida. A igreja pede que cada cristão fique pelo menos uma hora em reparação àquela hora em que os discípulos não conseguiram vigiar e acabaram dormindo enquanto Jesus orava. A tarde acontece a Celebração da Paixão e Morte de Jesus, com a proclamação da Palavra, a oração universal, a adoração da cruz e a distribuição da Sagrada Comunhão.
Nesse dia a Igreja pede o sacrifício do jejum e da abstinência de carne, como ato de homenagem e gratidão a Cristo, para ajudar-nos a viver mais intensamente esse mistério, e como gesto de solidariedade com tantos irmãos que não têm o necessário para viver. Você é criança, mas poderá fazer um jejum de certas brincadeiras como videogames, pega-pega, pic-esconde ou outras...
Sábado Santo é dia de “luto”, de silêncio e de oração. A Igreja permanece junto ao sepulcro, meditando no mistério da morte do Senhor e na expectativa de sua ressurreição. Durante o dia não nem uma celebração litúrgica e também não haverá catequese. A noite a vigília até a Ressurreição. Nesta noite é que acontece os batizados dos catecúmenos.
Tarefas: Participe destas celebrações e escreva no seu caderno uma frase, passagem bíblica ou um texto dizendo o que você achou de cada momento. Separe todos os momentos como no texto acima.

Desafio para a vida: Para ser um discípulo de Jesus basta IMITÁ-LO. Fizemos todo este sacrifício para ressuscitarmos com Ele no domingo de Páscoa. Vamos manter o nosso propósito.