sexta-feira, 25 de abril de 2014

DINÂMICA CELEBRATIVA PARA A PÁSCOA - II Domingo

II Domingo da Páscoa - ENTENDER para CRER e SER FIEL


Oração Inicial: Para ser feita em dois coros todos os dias

Lado 1 - Ó Cristo Ressuscitado, da morte vencedor, por tua vida e teu amor, mostraste a nós a face do Senhor.
Por tua Páscoa o céu à terra uniste e o encontro com Deus a todos nós permitiste.

Lado 2 - Por ti, Ressuscitado, os filhos da luz nascem para a vida eterna e abrem-se para os que creem as portas do reino dos céus. De ti recebemos a vida que possuis em plenitude pois nossa morte foi redimida pela tua e em tua ressurreição nossa vida ressurge e se ilumina.

Lado 3 - Volta a nós, ó nossa Páscoa, teu semblante redivivo e permita que, sob teu constante olhar, sejamos renovados por atitudes de ressurreição e alcancemos graça, paz, saúde e felicidade para contigo nos revestir de amor e imortalidade.

Todos - A ti, inefável doçura e nossa eterna vida, o poder e a glória por todos os séculos.


Catequista - Senhor, que no vosso Filho nos indicastes o caminho, a verdade e a vida, fazei que, meditando dia e noite na vossa lei, encontremos a luz da vossa verdade, o vosso Santo Espírito e com ele vossos santos dons, e a força da água da vida nos faça produzir frutos de vida eterna. Por Nosso Senhor. Amém.


O que devemos saber sobre OS DONS E OS FRUTOS

        Os Dons são dados, o fruto é gerado.
•        Os Dons vêm após o Batismo no espírito Santo, o fruto é na conversão.
•        Os Dons são de fora para dentro, os Frutos vem de dentro para fora.
•        Os Dons já vêm completos, o Fruto requer tempo para crescer.
•        Os Dons vêm pelo Espírito, os Frutos vêm por Jesus.

•        Os Dons são distintos, os Frutos são indivisíveis.
•        Os Dons confere poder, os Frutos confere autoridade.
•        Os Dons identificam o que fazemos, os Frutos mostra o que somos.
•        O mais interessante é que os Dons podem ser imitados, porem os Frutos nunca será.

Virtudes Teologias e Cardeais
  
Virtudes teologais - Assim chamadas porque ordenadas direta e imediatamente para Deus como fim último. Têm Deus como origem, motivo e objeto. São três: fé, esperança e caridade;

Virtudes cardeais - Polarizam as chamadas virtudes morais, as virtudes que visam os meios conducentes ao fim último sobrenatural e que são em número variável. As quatro virtudes cardeais são: a prudência, a justiça, a fortaleza e a temperança.

Leitura Bíblica (Jo 20, 26-29): Tomé professa a sua fé (feita por todos)
«Oito dias depois, estavam os discípulos outra vez dentro de casa e Tomé com eles. Estando as portas fechadas, Jesus veio, pôs-se no meio deles e disse: “A paz seja convosco”! Depois, disse a Tomé: “Olha as minhas mãos: chega cá o teu dedo! Estende a tua mão e põe-na no meu peito. E não sejas incrédulo, mas fiel”. Tomé respondeu-lhe: “Meu Senhor e meu Deus”! Disse-lhe Jesus: «Porque me viste, acreditaste. Felizes os que crêem sem terem visto»!

Breve reflexão – Catequista - Tomé crê, todavia faz caminho para que assim aconteça. Crê quando vê Cristo e lhe toca. A experiência de Tomé não é exclusiva das primeiras testemunhas, pois todos os cristãos de todos os tempos podem fazer esta mesma experiência. No entanto, “Felizes os que creem sem terem visto”. Será que sou capaz disto? Será que Cristo é verdadeiramente o centro da minha vida? Será que tudo na minha vida parte de Cristo e para Cristo tende? Quem procura Cristo, encontra-O em mim? Sou sinal da presença de Cristo? (…).

Estudando os dons e frutos propostos (As leituras seguintes devem ser feita por todos)


Se o Espírito Santo colocou em nós as admiráveis disposições que são os sete Dons (Ciência, Conselho, Entendimento, Sabedoria, Piedade, Fortaleza, Temor de Deus), foi para que déssemos Frutos. "Eu vos escolhi e vos destinei para que vades e deis Frutos, e o vosso fruto permaneça" (Jo 15,16), disse Jesus a seus apóstolos. Esse fruto será tanto mais abundante e saboroso quanto mais docilmente o ramo se deixar podar e limpar pelo Vinhateiro Divino (Jesus), aceitando generosamente os pedidos que Ele nos fizer.

Entendimento: Permite, pela ação iluminadora do Espírito Santo, intuir as realidades sobrenaturais e chegar à sua contemplação. Revela o sentido dos acontecimentos, da Escritura, dos sacramentos, dos mistérios da fé e dos desígnios salvíficos de Deus. Aperfeiçoa o exercício da virtude da fé. Produz como frutos do Espírito Santo a certeza da fé e o gozo espiritual; levando à bem-aventurança dos “puros de coração, que verão a Deus”.
(As crianças que foram sorteadas com este Dom dirigem-se à árvore e colocam o seu Dom)

: Cultivando a fé, acreditamos no Deus Criador, que é o Pai, no Deus Salvador, que é Jesus Cristo e no Deus Santificador, que é o Espírito Santo. Cultivando a fé, compreendemos que Deus é uno e trino e que tudo isto nos foi revelado nas Sagradas Escrituras. Cremos, então, que Deus é a verdade.
E Deus, que criou todas as coisas e nos deu a faculdade de pensar, de raciocinar, de acreditar? Temos muito mais motivos para acreditar n'Ele, para confiar n'Ele, para nos abandonar livremente em suas mãos.
A fé que devemos cultivar em relação a Deus é muito mais segura do que a fé que naturalmente temos nas pessoas. Assim, pela fé, cremos em Deus e em tudo o que Ele nos revelou. Ele se revela sempre a nós. Primeiro pelos Profetas, depois, através de seu Filho, que é a sua Palavra. Ele se revela também através do testemunho dos Apóstolos. E, constantemente, através dos acontecimentos da história da humanidade e da história de cada um de nós.
É forçoso que confiemos em Deus, com total confiança. Precisamos procurar conhecer a vontade do Pai e realizá-la em nós, porque, como diz São Paulo em sua carta aos Gálatas (Gl 5,6), a fé age por amor.
Com Deus, é do mesmo modo. De que adianta a pessoa acreditar em Deus e não fazer nada para melhorar o mundo que Ele criou com tanto amor? Madre Teresa de Calcutá dizia: "Eu sei que o meu trabalho é como uma gota no oceano, mas, sem ele, o oceano seria menor". E São Tiago, em uma carta, nos diz que "a fé sem obras é morta."(Tg 2,26)
A fé nos leva, portanto, a praticar a justiça em tudo que fazemos.
(As crianças que foram sorteadas com este fruto dirigem-se à árvore e colocam o seu fruto)

FIDELIDADE: É a qualidade de sermos fiel, leal, honrado, aquele que não falha, a qualidade de sermos verdadeiro, é a uma qualidade sobrenatural que nos inclina a dar ao próximo tudo o que lhe é devido, sob que forma for, é a justiça perfeita, é o que devemos ao próximo, Amor um Amor misericordioso, gratuito, um Amor de boa vontade e um Amor compassivo, um Amor que tem piedade, compaixão.
(As crianças que foram sorteadas com este fruto dirigem-se à árvore e colocam o seu fruto)

Oração: Senhor Jesus, Tu que apareceste aos discípulos, suscita em mim o dom do ENTENDIMENTO, para que pela ação iluminadora do Espírito Santo, eu possa descobrir-Te e contemplar-Te. E assim crescer na FÉ e na FIDELIDADE todos os dias da minha vida até à bem-aventurança dos “puros de coração, que verão a Deus”. Que eu possa como Tomé dizer sempre “Meu Senhor e Meu Deus”.


Proposta de atividade
Elabora o teu diário dos dons e das virtudes e frutos do Espírito. Procura por palavras tuas escrever o que é para ti o Entendimento, a Fé e a Fidelidade. Cada um dará um nome ao seu diário.

Dom do Espírito Santo: ENTENDIMENTO


Fruto do Espírito Santo ou Virtude: FÉ E FIDELIDADE