sábado, 22 de março de 2014

Dinâmica de oração para a quaresma - A semente

Texto base. Na parábola do semeador Jesus compara o nosso coração com um terreno que pode ser fértil ou não para o plantio. Segundo Jesus cristo (Mt 13,3ss) a semente semeada germina em qualquer tipo de terreno porem, só  cresce a ponto de dar bons frutos se o terreno for bom. Já vimos que para preparar um bom terreno temos que ter uma vida de oração. A intimidade com a oração nos aproxima de Deus e estreita os laços que nos une. Deus nos ama tanto que, ao ouvir uma oração de um coração contrito e sincero, Ele como Pai amoroso se desmancha em amor fraterno e eterno por seus filhos.

Já vimos também a importância de escolhermos bem os frutos que queremos para nossa vida, pois dele depende a nossa salvação. Quanto mais frutos bons, mais perto estaremos do Paraíso. Quanto mais frutos ruins, mais estaremos distantes da salvação. Precisamos lembrar que os frutos serão gerados, independente de sua vontade pois, é uma ordem natural da vida. Você só precisa escolher se estes frutos serão gerados pela carne ou pelo espírito.
Você já tem um ótimo terreno, escolheu um bom fruto. Agora, quais as sementes que pretende semear?
Todo ato de amor resulta em misericórdia, não há como fugir desta verdade! Se eu praticar um ato de violência ou maldade o resultado será intriga, discórdia, maldade, etc. Se eu praticar, por menor que seja, um ato de amor, o resultado será a misericórdia, a paz, a união, o bem, etc. São Paulo nos fala das virtudes teologais: fé, esperança e caridade, e afirma que a maior dela é a caridade.
Para compreendermos a prática das Obras de Misericórdia, temos que primeiro compreender que quando cometemos um pecado este nos gera uma dupla consequência, uma primeira consequência privação da comunhão com Deus, a esta privação chamamos de pena eterna do pecado, por outro lado todo pecado, acarreta um apego prejudicial às criaturas que exige uma purificação. Esta purificação é que nos liberta da chama pena temporal do pecado. Não devemos entender estas duas penas como uma vingança por parte de Deus, mas, “antes como uma consequência da própria natureza do pecado. Uma conversão que procede de uma ardente caridade pode chegar à total purificação do pecador, de tal modo que não haja mais nenhuma pena.”  [CIC, 1472]
Através do perdão do pecado e a restauração da comunhão com Deus (sacramento da reconciliação) é a forma da remissão das penas eternas do pecado. Mas ainda permanecem as penas temporais do pecado e como forma de reparação deve-se aplicar o esforço através da oração e da prática das diversas formas de penitência a despojar-se completamente do “velho homem” para revestir-se do “homem novo”.
Mas de modo especial deve-se aplicar as Obras de Misericórdia Espirituais que nos restauram através do esforço ao próximo em fazer o bem aos irmãos, notemos que também à as Obras de Misericórdia Corporais que também nos auxiliam neste processo, mas hoje daremos destaque as Obras de Misericórdia Espirituais que são as seguintes:
O objetivo do tema proposto para este mês é falar da importância de fazermos boas coisas (boas obras) ao nosso próximo, vivendo assim o amor em Jesus nos irmãos.
Preparando o terreno:
Fazer perguntas para introdução do tema:
- Vocês sabem o que é ter misericórdia? (ouvir respostas)
Ter misericórdia não é ter pena, é ter compaixão e solidariedade para com a necessidade do outro.
- Vocês já tiveram compaixão de alguém? (ouvir respostas)
Apresentar Jesus Misericordioso através das leituras do evangelho: Mateus 25,35-36 - Lucas 6,36
- O que vocês fariam se vissem uma pessoa:
com fome; com sede; nu; doente; preso; peregrino; morto.
                          As obras de misericórdia
Obra de misericórdia é aquela com que se socorre o nosso próximo nas suas necessidades corporais ou espirituais.
As obras de misericórdia são quatorze: sete corporais e sete espirituais, conforme são corporais ou espirituais as necessidades que se socorrem.
a) Obras de Misericórdia Corporais 
1-Dar de comer a quem tem fome;
2-Dar de beber a quem tem sede;
3-vestir os nus;
4-visitar os doentes;
5-visitar os presos;
6-acolher os peregrinos;
7-enterrar os mortos.

b)Obras de Misericórdia Espirituais
1-dar bom conselho;
2-corrigir os que erram;
3-ensinar os ignorantes;
4-suportar com paciência as fraquezas do próximo;
5-consolar os aflitos;
6-perdoar os que nos ofenderam;

Cada um dentro de suas possibilidades e dons, pode em diversos momentos da vida fazer obras de misericórdia.
Para uns é mais fácil visitar enfermos, para outros é mais fácil ensinar os ignorantes. Mas para todos em alguma fase da vida surgirão os momentos de "perdoar as injúrias" e "sofrer com paciência as fraquezas do nosso próximo".
Todo ato de amor resulta em misericórdia, não há como fugir desta verdade!
O menor ato de amor que você praticar, terá como resultado a misericórdia!
Praticar, obras de Misericórdia, é amar concretamente a Jesus nos irmãos. Que recompensa há em amar somente aos que nos amam? Por isso, todos são incluídos nesta condição. Ame os que te perseguem, os que te caluniam, os que não gostam de você  etc. Seus gestos de amor transformarão os corações: primeiro o seu, e em consequência, o do próximo! Estas são as sementes que você deve semear na vida.